CâMERA INDISCRETA...

Kátia e Aquiles, são noivos, possuem uma microempresa de venda e entrega de Gás GLP e Água Mineral. Desde que estão juntos, Katia trabalha com ele e ajuda na administração.rnrnUm dia, voltando de uma reunião com alguns fornecedores, Aquiles chegou ao trabalho no início da tarde. Fisicamente a empresa fica em um galpão que alugaram e adaptaram para que atendesse a necessidade. Quando Aquiles parou o carro e olhou para o interior da loja viu que Kátia e Lucas, o motoboy que fazia as entregas, conversavam no interior da loja. Aquiles é uma pessoa muito atenta a feições e aqueles sorrisos e olhares que eram lançados um ao outro lhe diziam alguma coisa. Foi então que desceu do carro e ela veio até ele e o beijou, tratando-o como sempre foi.rnrnKátia é uma mulher muito quente, diversas vezes eles transaram na sala, no carro e em diversos lugares proibidos. Aquiles foi para casa deles e ficou o dia todo com esta pulga atrás da orelha. A noite deixou Kátia na faculdade e, no carro, não parava de pensar na possibilidade dela estar lhe traindo.rnrnNeste dia passou em uma loja de Segurança e comprou micro-câmeras bem discretas. Levou o técnico até a sua empresa que já estava fechada e instalou o sistema de câmeras IP, ele tinha acesso a elas em seu notebook.rnrnE como diz o ditado: quem procura... acha!rnrnNo dia seguinte ele e sua noiva foram trabalhar, ela estava muito gostosa, um vestido curto e de sapatos de salto alto. Acho que pra ele aquilo já era uma prova de sua traição, aquela roupa, em ambiente de trabalho?rnrnComeçou a raciocinar e notou que de um tempo pra cá ela tem ousado mais nas roupas, a mente dele já lhe dizia que foi logo apás a contratação de Lucas.rnrnO rapaz chegou 20 minutos apás a abertura da loja, já tinha algumas encomendas para entregar e o fez. O dia ia fluindo como sempre, mas foi a tarde, depois do almoço, que algo aconteceu.rnrnAquiles ocupou-se na parte da frente, na loja, conferindo o estoque e fazendo o levantamento de vendas.rnrnInicialmente Kátia lhe ajudava, até que Lucas chegou de uma entrega, encostou a moto na calçada e passou por eles dizendo que precisava ir ao banheiro, mas ele viu o funcionário olhar para Kátia. Humm...o olhar e o sorriso entre eles... Ah, que raiva!rnrnPassou-se 5 minutos, ela lhe disse que precisa negociar com um fornecedor a compra de um lote de garrafões. O noivo respondeu que tudo bem, mas já sabendo que não era bem isto. rnrnAssim que Kátia saiu, ele sentou-se numa cadeira atrás do balcão e com seu notebook já ligado, abriu o sistema de gerenciamento das câmeras. Lá estava Lucas passando pela mesa de Kátia e imediatamente interrompido por ela que levou as mãos em seu peito encostando-o no mável. Viu que ele falou algo e olhava aflito para fora, possivelmente preocupado.rnrnIndiferente à aquela reação, sua noiva passou a mão no corpo do rapaz acariciando seu pau duro de tesão. Lucas não aguentou e começaram a se beijar. As mãos dele passeavam pelo corpo dela, levantando a saia, ele pegava na bunda e depois na buceta e não parava de vigiar a possível presença de Aquiles.rnrnKátia abaixou-se na frente dele, abriu-lhe a calça e abocanhou o pau de Lucas chupando o forte. Se por sua vez ele aparentava preocupação em ser pego, ela não demonstrava nenhuma preocupação, fazia tudo sem dar nenhum tipo de espiada para conferir onde Aquiles estaria.rnrnNeste momento lágrimas começaram a descer pelo rosto de Aquiles, seguido de um sentimento de ádio e desprezo. rnrnKátia levantou-se e Lucas encostou-a na mesa de costas para ele, levantou novamente sua saia abaixou sua calcinha de renda branca. Agachado atrás dela, ele a chupava como um animal e ela rebolava na cara dele. Então Lucas levantou-se, ajeitou o pau na buceta de Kátia e penetrou-a, passando estocá-la bem forte.rnrnAquiles, através das câmeras viu a moça olhar pra trás e falar algo, Lucas sorriu pra ela e em seguida tirou seu pau da buceta de Kátia, abriu a bunda dela cuspiu em seu cuzinho e começou a penetrar a safada! Lembrou-se que nunca comeu o cuzinho dela, não por ela não gostar, ela sempre pedia, mas nunca sentiu muito excitação nisto, sempre achou meio nojento.rnrnE lá estava Lucas, o motoboy, socando a rola em seu cuzinho... rnrnO guarda canetas chegou a cair no chão quando ele gozou enchendo a bundinha dela de porra, mas lembrando de Aquiles logo tirou seu pau pra fora. Deu pra perceber que ele queria que terminasse logo, mas ela não, e foi isso que deixou Aquiles mais furioso.rnrnEla começou a beijá-lo e massagear seu pau punhetando-o até deixá-lo novamente a excitado. Então se sentou em sua mesa de pernas abertas, tirou todo o seu vestido e o puxou. Lucas voltou a foder sua buceta e também chupava intensamente seus seios. rnrnPela expressão de Lucas quando olhava para o lado vigiando se Aquiles aparecia, notou que o rapaz estava completamente dominado por ela, era ela que ditava as regras.rnrnEle estocava de forma desesperada até que disse algo, ela o empurrou, ajoelhou-se e se pôs a chupá-lo. Aquiles viu Kátia engolir toda porra que saiu do pau de Lucas. Viu ela chupar a ultima gota, quando levantou-se sorrindo, limpando a boca com as mãos, chegando até a lamber os dedos... enquanto Lucas ajeitava-se. rnrnDepois de ajudá-la a se vestir, ele esboçava medo e tentava apressar Kátia que não parecia ter pressa nenhuma. Kátia entrou no banheiro, Lucas saiu da loja para fazer mais uma entrega, passou por Aquiles sem o encarar.rnrnAquiles entrou para o interior do galpão e ficou aguardando Kátia. Discutiram, chegaram a pensar em acabar o relacionamento, mas ele gostava muito dela e resolveram o impasse entre os dois fazendo um acordo. Combinaram que todas as vezes que ela sentir desejo de dar o cuzinho o Lucas podia comer, mais nunca no horário e nem no local de trabalho para não acumular serviço e evitar acidentes...rnrnrnrnOBSERVAÇÃO: Os nomes foram trocados para preservar as identidades, mas o conto é real.